⚠ Aviso importante: Caro cliente, informamos que hoje, terça-feira, dia 09/07/24, não haverá expediente por conta do feriado no estado de São Paulo. Você pode enviar sua solicitação através do nosso formulário de contato do site ou no WhatsApp (11 99300-0252). Iremos atende-la assim que retornarmos na quarta-feira, dia 10/07/24.

Instalação recomendada de bombas pneumáticas

Para uma instalação correta que evita problemas de operação, as bombas pneumáticas de duplo diafragma devem seguir as orientações de instalação que recomendamos abaixo:

Posicione a bomba tão próxima quanto possível do local de sucção do fluido.
Evite tubulações extensas ou com bitolas maiores ou menores do que a bitola da bomba.
Utilize a menor quantidade possível de conexões e acessórios de interligação na linha.
Em instalações permanentes contendo linha com tubulação rígida, instalar mangueiras flexíveis entre a bomba e a tubulação para reduzir a vibração e facilitar a remoção da bomba quando necessário.
Ao se instalar a bomba, verificar se todas as juntas e guarnições estão corretas e firmemente presas a fim de evitar perdas do produto bombeado e vazamentos.
É necessário o reaperto dos parafusos dos coletores e dos corpos laterais da bomba antes de operá-la.
Ilustração da instalação recomendada para uma bomba de duplo diafragma

Ar de alimentação

Não acoplar unidades que forneçam ar para alimentação da bomba maiores que 125 psi (8,61 bar). Instalar uma válvula de bloqueio de ar na linha para permitir a remoção da unidade de alimentação para manutenção.

Em tubulações de ar rígidas, utilizar conexões flexíveis para eliminar vibração. Em instalações permanentes e sempre que possível, é recomendada a utilização de filtros de ar na linha para manter a qualidade do ar comprimido, sem impurezas e umidade. Isso protege a bomba e aumenta o seu rendimento.

Em caso de bombas que operem remotamente, é ideal a instalação do filtro regulador ao lado da entrada de ar com engates rápidos.

Atenção: A linha de ar e o filtro deverão ter sustentação própria e independente da bomba.

Congelamento ou formação de gelo do ar exaustão

A formação de gelo proveniente do ar da exaustão, poderá ocorrer sob certas condições de temperatura, pressão e umidade em equipamentos que utilizam ar comprimido.

Quando o desempenho da bomba sofre problemas devido a formação de gelo, um secador de ar deverá ser acoplado na saída do compressor de ar para eliminar ao máximo a umidade do ar.

Exaustor de ar

As bombas podem trabalhar submersas desde que os materiais de construção sejam compatíveis com o produto bombeado e que na parte de exaustão do ar seja utilizada uma tubulação com saída acima do nível do líquido.

A tubulação utilizada para a exaustão de ar deverá ser igual à bitola indicada no manual da bomba.

Tubulações menores podem restringir o ar na exaustão e prejudicar o desempenho da bomba.

Atenção: Se o diafragma romper, o fluido bombeado pode entrar em contato com a parte pneumática da bomba. Neste caso, o fuido bombeado poderá entrar em contato com o ar comprimido e ser liberado pelo escape da bomba (silenciador). Quando o produto for perigoso ou possuir substâncias tóxicas em sua composição, a emissão deverá ser canalizada para uma área apropriada para melhor segurança. Recomenda-se também a troca dos diafragmas antes do rompimento através de estimativa de vida útil para a aplicação (consultar a fábrica).

Estando o fluido armazenado em um nível acima da bomba (sucção afogada), com mais de 4 metros, deverá ser prevista uma válvula agulha no escape do ar comprimido da bomba para prevenir mal funcionamento devido a sifonagem que será gerada pelo peso específico do fluido.

Acompanhe a Vallair nas redes sociais!

Solicite uma proposta personalizada

Ou clique no botão do WhatsApp nesta página e fale agora com nossa equipe de especialistas sobre as necessidades da sua aplicação.